“Voar” – Aeroporto Internacional de Belo Horizonte

14 out 2009

Desde 2006, mural patrocinado pela Zigma Importação e Exportação enfeita os corredores do Aeroporto Tancredo Neves, em Confins. Iniciativa visa ampliar o acesso à arte e valorizar o espaço público.

Conteúdo: Arquivo Movida Comunicação

mural voar_zigma importação

Os passageiros que transitam diariamente pelo Aeroporto Internacional de Belo Horizonte (Tancredo Neves, em Confins), têm a oportunidade de vislumbrar uma nova perspectiva do verbo viajar. Na área de desembarque internacional fica permanentemente exposta uma grandiosa obra de arte. A pedido da Infraero – Aeroportos Brasileiros, o artista Fernando Pacheco criou “Voar”, de 16 metros de comprimento, 1,60 de altura e 25,6 metros quadrados de pintura a óleo. O trabalho é livre, desenvolvido dentro da linguagem e universo pictório do pintor.

O amarelo é a cor predominante; porém, a vibração de todas as cores utilizadas é de uma energia intensa. Lúdico e rico, o painel é povoado por uma figuração diversificada composta por figuras humanas diversas, cães, objetos múltiplos, piano e malinhas. O mote é a viagem, esta simbolizada pelas pequenas malas pintadas, contendo inscrições. Porém, se trata de uma viagem poética. Variando o verbo vôo, de voar, e vou, de ir, o passageiro, ao invés de optar por Londres, Frankfurt ou Paris, poderá escolher ir para “lugares” como “Sonhos”, “Beijo”, “Paz”, “Nuvens”, “Relógio sem Tempo”, “Você”, “Lá”, “mim” e muitos outros.

[youtube]uvsdI2EtMAM[/youtube]

A iniciativa de apresentar um mural em um local burocrático como o de um aeroporto é apoiada por artistas e admiradores da arte. “Todo o aeroporto tem seus momentos de espera e ser gratificado durante estes momentos com arte é sempre mais agradável do que uma parede em branco,“ define o artista Décio Noviello. “Por ser um mural do Fernando Pacheco, um trabalho impactante, com cores fortes e alegres resultará em um efeito muito agradável se deparar com a obra”, ilustra o médico e colecionador de arte Eduardo Janot Pacheco Lopes.

Noviello acrescenta ainda que este tipo de ação deve ser ampliada, pois resulta em uma maior visibilidade do artista. “Os artistas tentam galgar este posto, de maior visibilidade, há muito tempo. Um exemplo de abertura da arte de um brasileiro para o mundo são os painéis “Guerra e Paz”, de Cândido Portinari, expostos na sede da ONU, em Nova York”.

O mural, que fica exposto de forma fixa no aeroporto, foi patrocinado pela Zigma Importação e Exportação. O diretor executivo da Zigma, Ramaya Vallias, que também é pintor, tem sensibilidade pela arte e reconhece o valor de uma obra como a de Fernando Pacheco, ressalta a importância de se investir em arte: “é de extrema importância, para a sensibilidade de uma empresa, torna-se na verdade, uma obrigação”. Ramaya Vallias define ainda que esta é uma tendência positiva da Zigma e que a prática se apresenta como um diferencial que outras empresas devem adotar.

Obra de arte, pintada pelo artista mineiro Fernando Pacheco, enfoca a viagem de forma lúdica e poética, modificando espaço burocrático de um aeroporto.

Clique para ver a obra completa

Galeria de fotos do coquetel de lançamento no Flickr Zigma

Veja algumas matérias que foram publicadas na época:

Zigma Importação e Exportação presenteia aeroporto Internacional Tancredo Neves com mega Mural de Fernando Pacheco

Coquetel inaugura quadro de Fernando Pacheco em Confins

Share

zigmaster